Estrutura /

Museu Arqueológico do Carmo

ESTRUTURA DO mac

Em Outubro de 1995 o MAC foi obrigado a encerrar ao público devido às obras de construção do Metropolitano de Lisboa no seu subsolo, que sujeitaram a estrutura arquitectónica a elevados riscos. Fizeram-se intervenções de grande envergadura no âmbito da conservação do monumento, que obrigaram a uma desmontagem e reestruturação completa do MAC, que só voltou a reabrir em Junho de 2001.

Essa operação implicou as seguintes etapas:
1. Inventário sumário e levantamento fotográfico do acervo do MAC;
2. Desmontagem completa do Museu Arqueológico do Carmo e colocação do seu acervo na antiga sacristia, por ser a zona mais segura do edifício;
3. Escavação arqueológica de todas as cinco antigas capelas e de parte da nave central;
4. Colocação de cerca de 150 microestacas em torno das antigas capelas e do transepto para reforço dos alicerces;
5. Escoramento e consolidação dos arcos da nave;
6. Colocação de uma camada de impermeabilização em toda a extensão da nave;
7. Reposição de pavimentos em toda a área da antiga igreja;
8. Remontagem do MAC.

As primeiras cinco etapas foram realizadas em 1996. Porém, as restantes só foram completadas no ano 2000.

No âmbito do Plano Operacional da Cultura foi assim realizada uma profunda remodelação do Museu Arqueológico do Carmo, a qual incluiu as seguintes operações:
1. Limpeza, conservação e restauro de todo o acervo, por técnicos qualificados, especialistas no tratamento da pedra, da madeira, do azulejo, e da pintura;
2. Estudo exaustivo do acervo por uma equipa de mais de 30 especialistas nas mais diversas áreas;
3. Instalação de um novo sistema de iluminação do edifício e do acervo;
4. Construção de uma estrutura de recepção confortável e de dimensão adequada;
5. Remodelação e ampliação das instalações sanitárias para o público e para o pessoal;
6. Remodelação dos serviços de apoio ao pessoal e aos visitantes;
7. Criação de um espaço de livraria/loja;
8. Alargamento e requalificação dos quadros de pessoal, incluindo a criação do lugar de Conservador;
9. Projecto de musealização, elaborado pro bono pelo Arq.º Mário Varela Gomes;
10. Remontagem integral do Museu Arqueológico do Carmo;
11. Publicação de um catálogo exaustivo das colecções permanentes do Museu Arqueológico do Carmo;
12. Criação de um Serviço Educativo.

Os objectivos deste projecto foram plenamente alcançados, e até ultrapassados. Com efeito, em apenas 15 anos, o número de visitantes, e as correspondentes receitas, passaram de 20.000, antes da remodelação, para os 170.000, atingidos em 2015.

ESTRUTURA DO MUSEU

...

Ler mais...

COLECÇÕES

...

Ler mais...

LOJA

...

Ler mais...

SERVIÇO EDUCATIVO

...

Ler mais...