27 de Julho a 20 de Agosto de 2022

Segunda a Sábado | 21h30

Espectáculo ao ar livre, legendado em inglês

M/6. Dur.Aprox. 90 m


Entrada mediante a compra do bilhete para o espetáculo


Bilhetes à venda em www.bol.pt e nos Pontos de Venda Aderentes

16€. 12€ (<25, >65 e profissionais do espectáculo). 8€ (portadores do cartão de amigo do TdB)

Reservas e informações: 

91 321 12 63 (entre as 15h e as 20h) e, a partir de 18 de Julho, na bilheteira instalada no Largo do Carmo (15h-20h)


Muito Barrulho Por Nada

William Shakespeare


Prosseguindo no que já vem sendo hábito, a Ar de Filmes / Teatro do Bairro volta a ocupar nesta época estival as magníficas Ruínas do Museu do Carmo com uma nova criação, num regresso a um grande clássico, desta feita a uma das mais emblemáticas comédias de William Shakespeare. António Pires dirige um elenco de doze actores MUITO BARULHO POR NADA (Much Ado About Anything), a partir da tradução de Sophia de Mello Breyner Andresen.


Escrita na época do Maneirismo (1515-1600), a peça encena a contradição do pensamento humano, não se limitando a mostrar o estreito horizonte de uma única personagem; antes, ilumina um conjunto vasto de figuras que, pela sua extrema variedade, evocam e representam a humanidade inteira, na partilha da mesma condição de finitude e do mesmo destino imperecível. Em MBPN subjaz a convicção de que o infortúnio é transitório e constitui um dos caminhos conducentes à felicidade duradoura, esperança que torna mais suportável a vivência do sofrimento, porque mitigada pela certeza do triunfo derradeiro.


Sinopse
Nesta comédia, nada é exactamente o que aparenta ser. A acção desenrola-se em Messina, capital da Sicília, e gira em torno da suposta quebra de castidade antenupcial de uma dama, de nome Hero, que, alegadamente, haveria consentido a um presumível amante o acesso nocturno ao seu quarto de dormir. Segundo normas e costumes vigentes, tal cumplicidade tornava-a indigna do noivado com Cláudio e, além de ter sido por ele repudiada no altar, a punição prevista podia atingir a pena capital, a menos que fosse esclarecida a sua inocência. Como veio a comprovar-se, a imputação de infidelidade de Hero, que merecera crédito até por parte de seus amigos e familiares mais próximos, derivava, afinal, do rancor e despeito de D. João, que não hesitara em recorrer à difamação, crime lesivo da honra e da reputação femininas. Uma vez desfeito o perverso equívoco, que a seguir dera azo a que se julgasse a jovem desaparecida e morta, a situação encaminha-se para o apaziguamento e harmonia finais, a que não faltam a punição da afronta e o prémio da virtude, num desfecho coroado pelo duplo enlace matrimonial da geração mais jovem, representada por Hero e Cláudio, a par de Beatriz e Benedito.


Ficha Técnica
Texto: WILLIAM SHAKESPEARE; Encenação ANTÓNIO PIRES; Tradução SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN Com: ANDRÉ MARQUES, CAROLINA CAMPANELA, CAROLINA SERRÃO, EDUARDO FRAZÃO, GRACIANO DIAS, GONÇALO NORTON, HUGO MESTRE AMARO, JOÃO BARBOSA, JOÃO SÁ NOGUEIRA, JOÃO VELOSO, MARIANA BRANCO e MÁRIO SOUSA Cenografia: ALEXANDRE OLIVEIRA; Figurinos: DINO ALVES; Desenho de luz RUI SEABRA, Desenho de som PAULO ABELHO Caracterização IVAN COLETTI; Construção de cenário FÁBIO PAULO; Confecção de figurinos FRANCISCA OLIVEIRA e ANDRÉ MARQUES Assistente de figurinos CATARINA VICENTE; Operação de Luz MAX PONS Operação de som: ANTÓNIO OLIVEIRA Assistente de Iluminação JOÃO VELOSO , Legendagem FEDERICA FIASCA Assistente à Direcção de Cena e Operação de legendagem AFONSO LUZ ; Bilheteira SOFIA ESTRIGA Ilustração JOANA VILLAVERDE; Fotografias de Cena MIGUEL BARTOLOMEU; Spots de Vídeo TIAGO INUIT Coordenação de produção IVAN COLETTI ; Administração de produção ANA BORDALO ; Comunicação MARIA JOÃO MOURA ; Produtor ALEXANDRE OLIVEIRA Produção AR DE FILMES / TEATRO DO BAIRRO Agradecimentos : Museu Arqueológico do Carmo, EDP, José Arnaut, Célia Pereira, Fernando Rebelo

 


Teatro do Bairro


Para mais informação consulte o site do Teatro do Bairro