De 23 de Julho a 24 de Setembro de 2021

Entrada Gratuita mediante compra do bilhete do museu


De Belém ao Carmo

Guilherme Parente

Exposição de Pintura

No âmbito da política de divulgação da Arte Contemporânea no Museu Arqueológico do Carmo, iniciada há já mais de uma década, chegou finalmente a ocasião de expor uma pequena amostra da já vasta obra pictórica de Guilherme Parente nas ruínas da antiga igreja do Carmo, em Lisboa, verdadeiro “esqueleto de pedra”, com uma enorme e pesada carga histórica e simbólica acumulada ao longo de quase 650 anos.

Com efeito, poucos lugares seriam tão adequados para revelar, por contraste, a natureza etérea, e a dimensão poética da obra deste pintor, nascido em Belém, há cerca de oito décadas, mas verdadeiro cidadão do Universo Onírico que tão bem soube criar, para enlevo e deleite dos seus contemporâneos de todas a idades, géneros e origens que nela revêm, e através dela viajam em plena liberdade, pelo mundo dos sonhos e da fantasia, cada vez mais necessário para contrabalançar o peso esmagador de quotidianos cada vez mais incertos e insatisfatórios.

Pensada já há alguns anos, mas sempre adiada pelas mais diversas razões, chegou a estar marcada para o passado mês de Dezembro, por ocasião do octogésimo aniversário de Guilherme Parente, mas acabou por ser adiada para o verão do corrente ano de 2021, por razões de maior segurança sanitária, esperando-se que assim possa ser vista por um maior número de visitantes.

Devido às limitações de espaço coberto, selecionou-se um conjunto de obras de dimensão adequada, realizadas nas últimas duas décadas, nas quais, porém, se encontram todos os elementos que caracterizam e povoam o inconfundível e originalíssimo mundo criado por este artista plástico, cujas obras exercem sobre todos nós um fascínio e uma atração irrecusável, e nos convidam a mergulhar, qual astronautas, no espaço cósmico intemporal em que tudo parece flutuar.

José Morais Arnaud
Director do Museu Arqueológico do Carmo